O BLOGUE OFICIAL DA PÁGINA MARGINAL (HTTP://JORGEPALMA.WEB.PT/)


sábado, fevereiro 26, 2005


Genial - Simplesmente isso...


Ontem assisti ao concerto de Jorge Palma no Olga Cadaval, em Sintra, um concerto que em poucas palavras caracterizo como genial... simplesmente genial...!

Como escritor, estudante, sonhador, aspirante a músico, poeta e grande admirador do trabalho genial de Jorge Palma, venho aqui dar o testemunho de um óptimo concerto, onde o Jorge revelou estar em grande forma e, apesar de gostar bastante do novo álbum "Norte", sem dúvida, que é sempre especial ouvir outras músicas perfeitas, como "Só", "Cara de Anjo Mau", "Deixa-me Rir", etc, obras-primas do espírito criador de um músico poeta ou de um poeta músico... - que é, a meu ver, um exemplo de pianista, músico, que não esquece o importante valor da mensagem que possui a letra de uma música... o seu poema, porque uma boa música... para além do som, transporta em si um imenso poder de esclarecimento e reflexão... deixa-nos sentir.... deixa-nos pensar... e cada vez que se ouve é diferente da vez anterior...

... É talvez, como um beijo... sempre diferente... sempre único... e apesar de poder não ser o primeiro... quando é sentido e desejado... acaba por sê-lo... acaba por se transformar em algo de realmente extraordinário... e alcançar o limite da transcendência...

... É o que penso da música...
... é o que penso da poesia..!

Até sempre...
Com os melhores cumprimentos


publicado por: Pedro Campos (http://www.msnusers.com/omundodossonhos)

e-mail:pedrobaraocampos@hotmail.com




2 Comentários:

Blogger susana disse...

felizmente também eu pude, na passada 6ª feira, deliciar-me com tudo aquilo que o Jorge sempre me consegue transmitir... a paixão, o encanto, a alegria, a diversão, a animação, o amor, as palavras, os sentidos, os mundos, as emoções, as ilusões, os medos, o conforto, a amizade... sei lá, mil e uma coisas! e sinto tanto que parece que as palavras e a dedicação e amor com que ele faz todas aquelas coisas bonitas são só para mim... oh! egoismo meu, peço desculpa, mas não consigo deixar de sentir isto! no entanto, adoro poder olhar uma sala cheia, como neste caso o centro olga cadaval, pronta a admirar e se deliciar até lamber as pontas dos dedos com tudo o que ele nos presenteia, "sedenta de ternura..." :)

palavras são sempre poucas para me expressar no que diz respeito ao Jorge :)

beijinhos *

susana almeida *
zusharah@hotmail.com

1:12 da tarde

 
Blogger the girl in the other room disse...

Não estive no concerto com um imensa pena. Como todos, como sempre, e pelas descrições, o Jorge esteve igual a ele próprio. Subescrevo inteiramente a descrição feita às interpretações que este mestre dá as músicas: "sempre diferente... sempre único... e apesar de poder não ser o primeiro... quando é sentido e desejado... acaba por sê-lo... acaba por se transformar em algo de realmente extraordinário... e alcançar o limite da transcendência...".

Completamente. =)

10:59 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Home